Fechar
Abrir

Campanhas como a de Marcelo vão facilitar maior participação

O ex-eurodeputado do CDS-PP Diogo Feio considerou hoje que a campanha de Marcelo Rebelo de Sousa vai marcar futuras corridas eleitorais e facilitar uma maior participação, realçando a confiança, expectativa e entusiasmo sobre o novo Presidente da República.

Na conferência da agência Lusa, intitulada “Portugal entre o rigor e a audácia”, que decorre hoje em Lisboa, Diogo Feio começou por fazer uma declaração de interesses: “tendo em atenção as últimas eleições presidenciais e o exercício, eu bem sei que ainda curto de uma semana do atual Presidente da República, eu marcelista, me confesso, precisamente em relação a este tema da participação e da legitimidade”.

Na opinião do novo responsável pelo Gabinete de Estudos do CDS-PP, a campanha eleitoral diferente de Marcelo Rebelo de Sousa nas últimas eleições presidenciais “marcou aquilo que serão as campanhas eleitorais para o futuro, que vão facilitar uma maior participação porque são baseadas numa comunicação que naturalmente é mais genuína”, sentindo-se o “eleitor mais próximo daquele que será o seu eleito”.

“Basta olhar para as imagens do que se passou na passada sexta-feira, [no Porto]para ver que há um enorme patamar de confiança, expectativa, entusiasmo à volta do atual Presidente da República”, defendeu.

Para Diogo Feio, há várias razões que justificam este sentimento em relação do novo chefe de Estado, sendo a primeira o “elemento de comunicação”.

“Há uma expectativa em relação à comunicação do Presidente da República, que diz: ‘haverá aprovação de um orçamento, terei que exercer poder de promulgação e vou comunicar ao país sobre isso'”, considerou Diogo Feio.

Esta atitude marca “toda uma diferença em relação ao que nós estávamos habituados de proximidade através da comunicação”, uma ideia do exercício do poder político que era “feito numa torre de marfim à qual é difícil aceder começa a ser ultrapassada em exemplos como este”.

Diogo Feio manifestou ainda uma “enorme satisfação” com a forma como viu a campanha eleitoral montada por Marcelo Rebelo de Sousa.

“Agradeço o decreto que foi feito pelo professor Marcelo Rebelo de Sousa: o fim da carne assada. Já não tem razão de ser aqueles grandes jantares arregimentados [com apoiantes nas campanhas eleitorias]”, sublinhou.

O antigo eurodeputado do CDS-PP recordou ainda que “faz quase 20 anos que uma revisão constitucional propôs um conjunto de alterações ao sistema eleitoral”.

“Passados 20 anos tudo continua na mesma. Porque os dois maiores partidos não se entendem, e os restantes três não têm tido vontade para que o sistema eleitoral se altere. Eu pertenço a um deles”, assumiu.

Para Diogo Feio “está na altura de se modificar aquele que é o sistema de eleição para a Assembleia da República”, sendo preciso que partidos estudem as soluções que sejam possíveis e sejam exequíveis”.

Voltar atrás